fbpx

A reciclagem de carros no Brasil

reciclagem de carros

Atualmente, estima-se que  existam no Brasil 45 milhões de veículos em circulação. E, como todo produto manufaturado, os carros também chegam ao fim de sua vida útil. Surge, então, uma questão fundamental: a reciclagem de carros. Entenda como acontece esse processo, sua história no Brasil e as principais consequências dessa iniciativa.

De acordo com um relatório elaborado pelo Sindipeças em novembro de 2018, mais da metade dos carros que circulam no Brasil têm entre seis e 15 anos de idade. Estima-se também que a média de idade dos veículos no país seja de mais de nove anos e meio.

Então, se mais da metade dos carros está tão perto da “aposentadoria” ou até já superou as expectativas, o que fazer com todos esses veículos quando chegar a hora do descarte?

Por muito tempo os ferros-velhos e aterros sanitários foram as únicas soluções no Brasil. O problema é que esses últimos contaminam o solo, tornam-se mais uma causa de poluição ambiental e ainda custam bilhões de reais por ano ao governo. Já os ferros-velhos apresentam um problema relacionado à ilegalidade da venda de peças usadas.

Assim, a reciclagem de carros chegou ao Brasil como uma solução inovadora! Ela pode reduzir impactos ambientais, favorecer a economia de diversas maneiras e ainda combater o uso e a venda de peças inadequadas e ilegais.

O primeiro estado brasileiro a adotar a reciclagem automotiva foi o Rio Grande do Sul, em 2010. Quatro anos mais tarde, o estado de São Paulo aprovou a Lei do Desmanche que regularizou a atividade de desmontagem de veículos. Poucos meses depois, o governo federal sancionou uma lei com as mesmas características válida para todo o país.

O propósito da reciclagem de carros

Os principais propósitos da legislação são a redução de impactos ambientais no descarte de veículos e a regulamentação da venda e do reaproveitamento de peças automotivas. 

De acordo com a lei, todas as empresas de desmonte de carros precisam ser credenciadas no Detran e na Secretaria da Fazenda, para que possam vender peças de reúso para o consumidor final.

Assim, a procedência dos materiais reaproveitáveis pode ser verificada e regulamentada, garantindo a qualidade e segurança. 

O processo: passo a passo da reciclagem de carros

O processo de reciclagem de um carro demora cerca de três horas e é dividido em sete etapas. Desde uma análise minuciosa da documentação do veículo até o descarte responsável dos resíduos não aproveitáveis.

  1. Análise da documentação do veículo.
  2. Baixa da documentação do veículo no DETRAN. O carro deixa de ser um automóvel e passa a ser um conjunto de componentes a serem reutilizados e reciclados.
  3. Descontaminação do veículo. Óleos, gases e outros fluidos são retirados de forma segura e encaminhados para empresas de reciclagem especializadas.
  4. Desmontagem do veículo, avaliação e categorização das peças de acordo com as condições de reaproveitamento. Peças prontas para reuso, peças com danos leves que serão vendidas por menor valor, e peças que não podem ser reaproveitadas (itens de segurança e baterias, por exemplo).
  5. Rastreamento: as peças a serem vendidas recebem um código digital que garante a sua procedência e rastreabilidade. Cada peça ganha uma nova nota fiscal.
  6. Separação e armazenamento das peças de acordo com seu destino.
  7. Expedição e venda: as peças que podem ser vendidas possuem certificado de qualidade.

Os benefícios da reciclagem de carros

Por enquanto, apenas 1,5% da frota brasileira passa por esse processo. Em países onde a reciclagem de carros acontece há mais tempo o cenário é completamente diferente.

Em contra partida, na Europa, 85% dos veículos que circulam pelo continente têm a reciclagem como destino final.  

Você sabia que 85% das peças de um carro podem ser reaproveitadas para reposição? E que 10% de um veículo inteiro pode ser reciclado (plásticos, vidros, óleos, pneus e metais)? Isso significa que aproximadamente apenas 5% de um carro é, de fato, descartado.

Diante desse fato, o cenário da reciclagem de carros no Brasil é frustrante! Imagine quanto material poderia ter sido recuperado e quanto poderíamos ter poupado nosso meio ambiente desses resíduos.

Além de garantir um ciclo de vida muito mais sustentável para o mercado automotivo, a reciclagem de carros traz benefícios econômicos para o país e para o consumidor final que se engaja na causa.

O mercado de seguros, por exemplo, homologou recentemente uma apólice mais barata que permite a utilização de peças provenientes de empresas de desmanche cadastradas no Detran conforme a legislação.

É preciso portanto investir neste mercado inovador para que o Brasil avance no quesito sustentável e econômico.

 

*

A Metagal, líder no mercado de espelhos retrovisores e no desenvolvimento de câmeras para monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias automotivas.

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *