fbpx

O que esperar da indústria automotiva em 2021?

indústria automotiva

Com a crise gerada pelo Covid-19, as vendas de automóveis caíram drasticamente, e tanto montadoras quanto fornecedores da indústria automotiva chegaram a ter suas operações temporariamente paralisadas

De acordo com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), até agora, deixamos de fabricar 700 mil veículos devido à pandemia.

Ainda assim, a perspectiva para o futuro é de melhora, considerando que os últimos meses de 2020 apontam para uma recuperação gradual do setor.

Outubro apresentou um crescimento de 7,4% na produção e de 3,5% nas vendas em relação a setembro. É a sexta alta consecutiva e o melhor desempenho da indústria no ano até então.

A recuperação completa, por outro lado, deve demorar um pouco mais. Isso porque, apesar de termos alcançado o mês recorde em 2020, ele ainda é o pior em relação aos outubros anteriores desde 2017, quando estávamos nos recuperando da última crise econômica.

Indústria automotiva: uma análise preditiva

Um dos obstáculos que ainda deve estar presente em 2021 é o preço elevado, gerado pela alta do dólar em uma indústria que ainda importa muitos componentes e materiais.

Esse ponto preocupa as montadoras, que precisam programar seus fornecedores do ano e também garantir a alta demanda. 

Assim, as empresas devem estruturar planejamentos estratégicos, com aumento na produtividade (talvez implementando terceiros turnos) e um trabalho detalhado na área de compras e logística, que não pode deixar de lado a opção dos fornecedores nacionais.

Outro fator a ser considerado é que, devido a pandemia, muitas pessoas que antes não pensavam em ter um veículo próprio mudaram de ideia.

O objetivo é não mais depender de ônibus, trens ou outros tipos de transporte público, o que poderia aumentar o risco de contaminação dos passageiros.

Por isso, além da própria retomada gradual que é natural da reabertura, o mercado de modelos novos e usados deve, sim, ter alta em 2021. 

A agilização na concessão de crédito causada pela queda da taxa básica de juros (a Selic), oferecendo uma entrada menor e maior financiamento, vai contribuir ainda mais para esse aumento nas vendas. 

Expectativas de até 32% de crescimento no ano

Mesmo que gradual, a expansão dos números na indústria automotiva não deve ser menos celebrada. 

De acordo com a consultoria LMC Automotive, o mercado pode ter um aumento de até 32% nas vendas em comparação com 2020. O levantamento considera uma melhora na abertura em todas as cidades.

Com todos os fatores citados anteriormente atuando, temos boas expectativas de crescimento e do início de uma compensação do que foi perdido durante os meses da quarentena.

Aprendizados e boas práticas 

O ideal é que, para aproveitar essa retomada, as empresas do setor automotivo continuem aplicando os fundamentos de governança que ajudaram-nas a lidar com a pandemia, mesmo nos piores momentos.

É preciso, por exemplo, dar seguimento na digitalização de processos internos e trabalhar para oferecer uma jornada de compra mais focada no meio digital.

Hoje, de acordo com o blog Think With Google, 92% do público que consome automóveis pesquisa sobre eles no online.

Apesar disso, a compra efetiva – com exceção do mercado de seminovos e usados – ainda acontece somente de maneira presencial

Nessa troca de ambientes, existe uma grande perda. Esse mesmo estudo da Google Survey afirma que 18% dos consumidores comprariam um veículo mais cedo se pudessem fazê-lo online e não precisassem se deslocar até uma concessionária.

Assim, investir esforços e transpor a jornada de compra para o digital significa aproveitar uma grande oportunidade de crescimento. 

Além disso, as companhias também devem avaliar o ciclo de vendas e de vida dos seus principais produtos. Ainda há potencial de mercado hoje? Vale a pena alocar esforços e investimentos?

Esse cuidado extra com o catálogo, o caixa, o posicionamento da empresa no mercado e com a própria transformação digital farão toda a diferença no sucesso da empresa durante a retomada do setor.

*

A Metagal, líder no mercado de retrovisores, sistemas de retrovisão e no desenvolvimento de câmeras para monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias automotivas.

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *