fbpx

A Kombi do futuro: como é o novo carro elétrico da Volkswagen

Kombi do futuro

Versátil, prática e com um design que conquistou os motoristas de sua época. A icônica van deixou de ser fabricada no Brasil em 2013, após 56 anos de produção. Agora, para a felicidade dos entusiastas, sua forte marca rendeu uma releitura. Conheça a I.D. Buzz e a I.D. Buzz Cargo, duas versões da Kombi do futuro.

O conceito I.D. Buzz foi apresentado durante o Salão de Detroit, em 2017. Era a versão elétrica e parcialmente autônoma da famosa perua. 

Em 2018, a Volkswagen anunciou uma nova variação para uso comercial, a I.D. Buzz Cargo. Montada com a nova plataforma modular para carros elétricos, deve ser lançada na Europa e Estados Unidos até 2022.

A inspiração para os novos modelos

Ambos os projetos são inspirados na primeira geração da Kombi, lançada em 1950. O próprio nome é uma referência ao modelo original: “Buzz” faz alusão à “bus”, apelido da Kombi nos EUA.

Quais são os diferenciais da Kombi do futuro?

I.D. Buzz

O modelo oferece diferentes opções para tamanho de bateria, o que é chamado de Modular Electric Drive Kit no exterior. Graças a essa diferença, fatores como tempo de tráfego autônomo e o próprio preço variam. 

Com dois motores divididos entre os eixos, vai de zero a 100 em cinco segundos, de acordo com a VW.

Sua velocidade máxima fica em torno dos 160 quilômetros por hora, permitindo a condução do veículo em estradas e rodovias.

Ainda segundo dados da montadora, para modelos com bateria mais potente, é possível realizar o carregamento de até 80% da carga em menos de 30 minutos.

Quando no modo autônomo, o veículo poderá realizar um trajeto de 320 até 540 quilômetros sem intervenções humanas, por meio do sistema I.D. Pilot.

Portanto, o volante é um fator dispensável, podendo ser ocultado no painel de acordo com a necessidade. Já os retrovisores foram substituídos por um sistema com câmeras externas.

Para acompanhar o design, que é moderno com toques retrô, o teto forma uma borda em cima do para-brisa, relembrando os modelos antigos. 

Este mesmo teto guarda chapas de energia solar que ampliam a autonomia do veículo em até 150 quilômetros ao dia. A pintura também é uma homenagem à van original.

E, como último toque especial da Kombi do futuro, o pedal do acelerador exibe o símbolo do play, enquanto o freio representa o pause.

I.D. Buzz Cargo

Já a alternativa para transporte de cargas ou uso comercial é um pouco maior do que a Buzz, com cinco metros de comprimento e maior balanço traseiro.

A capacidade máxima de carga é de 800 quilos e o embarque é facilitado pela lógica das portas: ambas são deslizantes e abrem eletricamente por meio de um sensor. Este sensor fica conectado ao smartphone do usuário, permitindo um uso seguro e prático.

A carga transportada também pode ser gerida de dentro do automóvel. Isso porque seu sistema de prateleiras conectadas, que utiliza internet das coisas, informa o estoque por ordem de entrega, além de planejar rotas.

Em outras palavras, se o condutor precisar receber mensagens, se comunicar com a empresa ou mesmo verificar seu estoque durante o trajeto, pode acionar o modo autônomo, dando conta de organização enquanto a Kombi do futuro se movimenta.

O projeto abre caminho para novos modelos?

Sim! De acordo com afirmações da própria Volkswagen, estima-se que a montadora poderá produzir os primeiros modelos totalmente autônomos a partir de 2025. Até lá, muito mais inovações serão estudadas e aplicadas à produção.

*

A Metagal, líder no mercado de espelhos retrovisores e no desenvolvimento de câmeras para monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias.

 

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *