fbpx

Duas tendências realistas para o mercado automotivo em 2020

mercado automotivo: tendências realistas

Quando chega o fim de um ano, as tendências para o ano seguinte  são sempre tema de discussões em qualquer setor comercial, inclusive no mercado automotivo. Encontrar conteúdos sobre as promessas daquele segmento  para o próximo ano é superfácil!

Apesar de frutíferas, essas discussões carregam um problema: as “tendências” de que tanto se fala são, normalmente, de longo prazo! E o que isso significa? 

Bom, significa que você provavelmente não vai ver a concretização dessas promessas no ano que vai começar. Além disso, se procurar por conteúdos semelhantes de anos anteriores, vai notar que muitas tendências se repetem

Assim, das cinco tendências apontadas para 2019, pelo menos três vão estar na lista das mudanças para 2020. Isso é natural, quando falamos de tendências de longo prazo.

Novidades realistas no mercado automotivo

Por isso, neste conteúdo você não vai encontrar grandes promessas do setor automotivo, como carros elétricos ou autônomos. Aqui, você vai conhecer pequenas mudanças que o setor automotivo deve, de fato, colocar em prática no próximo ano!

Conectividade 

Cada carro lançado no mercado apresenta um novo tipo de conectividade que, por mais simples que seja, agrega conforto ao seu dia a dia. Esse fenômeno das “coisas” conectadas chegou primeiro em ambientes e itens residenciais. Sempre com o objetivo de proporcionar mais segurança e mais conforto.

A Internet das Coisas é um termo chave aqui! Para entender mais sobre como esse conceito tem sido aplicado no mercado automotivo, confira este conteúdo!

Mas aqui, vamos falar sobre mudanças práticas. Toda essa conectividade é proporcionada por uma intensa convergência tecnológica. Que, por sua vez, nada mais é do que a tendência de unificar serviços e funcionalidades tecnológicas em um mesmo canal de comunicação que, nesse caso, é o carro!

Os carros conectados otimizam a comunicação de sua própria operação e manutenção. 

Isso não significa que os smartphones vão perder sua função na hora de dirigir. Na verdade, a conexão entre o carro e o celular deve se intensificar de forma a facilitar o dia a dia do condutor. A grande diferença é que, além de receber informações e comandos do celular, o próprio carro deve enviar dados para o smartphone.

Confira algumas funcionalidades esperadas:

  • Conexão a aplicativos de smartphone
  • Acesso a aplicativos e funcionalidades do smartphone por meio de comando de voz
  • Informações sobre tráfego, alagamentos, colisões, manifestações e outros alertas de segurança
  • Serviços de assistência que alertam o motorista sobre quando iniciar o percurso para chegar a tempo em um compromisso agendado
  • Acesso à música, áudio, podcasts, rádio via internet por meio de tablet ou smartphone
  • Conexão Wi-Fi dentro do veículo com pré-instalação de um SIM Card ativo
  • Sistema online de localizador de veículo 

Apesar de impressionar os amantes da automobilística, essa promessa de conectividade também tem assustado alguns condutores. Para promover todas essas funções, os veículos precisam enviar e receber uma grande quantidade de dados o tempo todo. Surge então, a preocupação com a segurança desses dados. Para saber um pouco mais sobre esse assunto, acesse este conteúdo.

Leveza

Outra tendência bastante realista para o próximo ano é a fabricação de carros mais leves.

Essa novidade é fruto de uma tendência de longo prazo, a de tornar os carros cada vez menos nocivos ao ambiente. Isso porque o peso do carro está diretamente relacionado à quantidade de combustível que ele gasta e à emissão de poluentes.

Em 2014, a Ford desenvolveu seu Ford Fusion em uma versão 25% mais leve que a tradicional. A montadora substituiu o material de algumas peças por alumínio e aço que, além de mais leves, são mais seguros para o condutor e os passageiros.

Além disso, bancos, rodas e painel foram confeccionados com fibra de carbono e algumas estruturas foram instaladas ocas no veículo. 

Apesar de ter sido fabricado em 2014, o carro era apenas um projeto da Ford e não foi comercializado em grande escala. Mas a promessa para 2020 é de que conceitos como o do Ford Fusion Lightweight Concept  sejam aplicados em carros populares e vendidos em grande escala.

Apesar de boas soluções para fabricar veículos mais leves, o mercado automotivo enfrenta um desafio financeiro. Vários dos materiais alternativos, como o magnésio, custam muito mais do que materiais tradicionalmente usados. 

Portanto, 2020 será um ano de testes nesse sentido. O desafio é desenvolver carros mais leves, acessíveis e, ainda assim, rentáveis.

*

A Metagal, líder no mercado de espelhos retrovisores e no desenvolvimento de câmeras para monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias automotivas.

 

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *