fbpx

Higienização automotiva: 4 dicas para você fazer em casa

higienização automotiva

Se você precisa de um motivo para fazer uma higienização automotiva, saber que o volante de um carro pode possuir mais bactérias do que a tampa do vaso sanitário de um banheiro público é mais que suficiente.

Em domingos ensolarados, dar aquele trato no carro pode ser o hobby de muita gente. Porém, a limpeza automotiva vai muito além de passar o aspirador nos carpetes, silicone no painel e o famoso “pretinho” nos pneus.

De acordo com a Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp), a pandemia fez a procura pelos serviços de higienização automotiva disparar no Brasil. 

O resultado de um teste apresentado pelo AutoEsporte mostra que um carro possui, em média, 700 tipos diferentes de bactérias em 6,45 cm². Para efeito de comparação, um banheiro público tem 80.

Assustador, não é mesmo? Porém, uma limpeza automotiva evita que o seu veículo seja alvo de fungos e bactérias que podem espalhar doenças

O ideal é que a limpeza automotiva seja feita por um profissional, porém, além do custo para o dono do veículo, neste momento é importante evitar o contato com outras pessoas. Então, para que você mesmo possa fazer a limpeza do seu carro e mantê-lo sempre livre de vírus e bactérias, separamos algumas dicas. Confira:

Faça você mesmo: 4 dicas para você fazer a higienização do seu carro

O álcool em gel 70%, apesar de eficaz no combate ao novo coronavírus, pode danificar as peças do carro. Neste caso, o mais indicado é utilizar água e sabão neutro e, com a ajuda de um borrifador, umedecer todo o painel do veículo (inclusive a tela da central multimídia) e esfregar bem com um pano de microfibra. 

Evite usar produtos à base de amônia, água oxigenada e alvejante. Eles podem comprometer o funcionamento dos aparelhos além de manchar o estofado.

Bancos de couro

Sem dúvidas, a higienização automotiva em estofados de couro é mais fácil e pode ser feita tanto com álcool líquido quanto com sabão e água. 

Porém, pelo tipo de tecido — couro legítimo ou sintético — é necessário fazer uma boa hidratação, uma vez que o couro pode ressecar, descascar ou até mesmo rachar. 

Existem no mercado diversos produtos que hidratam este tipo de estofado e evitam tais danos. Invista neles!

Estofamento sintético

Para carros com bancos de pano, o melhor é preparar uma mistura com água e sabão, mas que não faça espuma! Senão os bancos podem ficar molhados por muito tempo, o que vai colaborar com o desenvolvimento dos fungos.

Após fazer a higienização automotiva, não feche seu carro. Permita que os bancos sequem por meio de uma ventilação natural. Se isso não for possível, recorra a um secador de cabelo.

Aspirador de pó como aliado

Alguns lugares podem ser de difícil acesso para a limpeza, como as costas dos bancos e algumas partes fundas das costuras. Nestes casos, usar o aspirador de pó pode fazer com que a sua higienização automotiva seja mais eficaz.

E não se esqueça dos carpetes! Eles costumam acumular muita poeira e podem gerar problemas respiratórios, sendo este fator uma porta de entrada para os vírus.

Não se esqueça do ar-condicionado

O ideal é que periodicamente, um profissional faça a limpeza do ar-condicionado e troca dos filtros para a circulação de um ar mais puro.

Você também pode eliminar os microrganismos que ficam no duto do ar-condicionado ligando o ar quente na temperatura máxima ao chegar em casa.

Bio Sanitização e oxi-sanitização

A Bio Sanitização é considerada uma das tecnologias mais avançadas do mundo na desinfecção de ambientes no combate ao vírus, já tendo sido usada em hotéis, escritórios e bancos espanhóis.

Esta higienização automotiva é feita por meio da aplicação — por profissionais da substância sanitizante no veículo com aparelhos de alta tecnologia e equipamentos de proteção individual adequados.

O produto forma uma película protetora nos locais que foram aplicados que impede a proliferação de microrganismos. 

Além da Bio Sanitização, a oxi-sanitização também tem chamado a atenção de quem deseja fazer a higienização automotiva.

Isso porque o ozônio é 200 vezes mais eficiente do que o cloro na limpeza e não danifica as superfícies do veículo.

Nesta técnica, é colocado um aparelho gerador de ozônio dentro do automóvel e com o ar-condicionado ligado, em recirculação e com os vidros fechados. Desta maneira, o ar que está no interior do veículo entra na máquina e as partículas de oxigênio são transformadas em ozônio, gás natural que possui efeito germicida e é eficiente na destruição de vírus.

Apesar de esses métodos serem eficazes no extermínio de fungos e bactérias, ainda não existem evidências científicas sobre a eficácia deles com relação ao coronavírus, uma vez que este ainda é um vírus relativamente novo.

*

A Metagal, líder no mercado de espelhos retrovisores, sistemas de retrovisão e no desenvolvimento de câmeras para monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias.

 

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *