fbpx

Três peças automotivas que não serão as mesmas daqui a 20 anos

Com as transformações na indústria automobilística, muitas peças automotivas precisarão se reinventar. Confira três que já não serão as mesmas em 20 anos!

Pense em como serão os carros no futuro. Em sua imaginação, o que mudou? As grandes inovações do setor automobilístico trazem consigo diversas transformações menores, especialmente quando falamos em veículos autônomos ou elétricos. Para ajudar você a visualizar este cenário, listamos três peças automotivas que não serão as mesmas no futuro.

3 peças automotivas que irão se reinventar

Um dos fatores que guiam a inovação é a mudança comportamental dos consumidores. Atualmente, vivemos em uma sociedade mais focada na qualidade de suas experiências e preocupada com a sustentabilidade de suas ações e dos serviços que consome.

Motores elétricos 

Os automóveis ainda são um dos grandes responsáveis pela emissão de gases poluentes. Com leis de regulamentação cada vez mais rígidas, tanto em nível nacional quanto internacional, é natural que as montadoras reúnam esforços para desenvolver tecnologias menos agressivas.

Os motores elétricos, alternativa já lançada, ainda devem passar por diversas mudanças, e representam uma das apostas para um mercado mais sustentável.

Eles funcionarão por meio de um sistema de propulsão compacto, que irá gerar energia e conduzi-la às rodas por meio de transmissão hidráulica. Até lá, a rede elétrica deve receber muito mais energia renovável. As perdas energéticas também serão cada vez menores, assim como a necessidade de refrigeração.

A princípio, a ideia é que os modelos híbridos conquistem espaço no mercado. Em paralelo, as cidades adaptariam sua infraestrutura. Já a longo prazo, se espera uma migração expressiva para os modelos elétricos.

De acordo com a Bloomberg New Energy Finance, atualmente menos de 1% dos carros são elétricos, mas a previsão é de que, até 2040, mais da metade de todos os veículos lançados tenham motores movidos à eletricidade.

Diversos investimentos são feitos para a popularização destas peças automotivas. Elon Musk, proprietário da Tesla, já abriu as patentes para que todas as empresas possam utilizar suas tecnologias.

Com os novos motores, o número de componentes do veículo também deve diminuir. O capô, por exemplo, não será mais necessário – o que representa uma quebra no design com o qual estamos acostumados. Os carros devem ficar mais arredondados, com formatos que remetam à bolhas ou cápsulas, o que também reduziria o arrasto aerodinâmico.

Baterias

Totalmente relacionadas ao item anterior, as baterias também passarão por aprimorações nos próximos anos. Feitas de íons de lítio, o seu carregamento será feito de forma totalmente wireless! Para isso, as cidades devem contar com placas de indução disponíveis em ruas e rodovias.

Atualmente, sua produção ainda requer uma quantidade considerável de matéria-prima. No futuro, estas peças automotivas devem ser mais ecológicas e menos custosas. As montadoras também pesquisam formas de expandir o seu tempo de carregamento.

De acordo com pesquisas da Universidade Técnica de Munique, já é possível carregar 80% da bateria em 30 minutos. Testes pretendem reduzir esse tempo para 15 minutos em até dois anos e cinco minutos nas próximas décadas.

Outra preocupação é o alcance das baterias. Uma opção apresentada é contar com um pequeno motor turboalimentado, que pode servir como extensor. Ele seria usado apenas em casos de necessidade, como viagens longas.

Retrovisores

Os retrovisores são outras peças automotivas que devem se transformar. A ideia é que sejam substituídas por sistemas de câmeras com sensores. Elas estarão distribuídas nas laterais, traseira e topo dos veículos. As imagens e informações captadas serão projetadas em um display interno, o que garantirá melhor visibilidade e segurança, sem pontos cegos.

Empresas que pesquisam e desenvolvem essa substituição afirmam que o novo posicionamento garante uma aerodinâmica melhor aos carros, já que as câmeras são consideravelmente menores do que os retrovisores usados atualmente. Esta melhoria, então, impactaria até no consumo de combustível mensal.

A Metagal, líder no desenvolvimento de espelhos retrovisores e câmeras de monitoramento veicular, é um exemplo da constante busca por inovação. Há mais de 50 anos de no setor, a empresa investe pesado em pesquisas, capacitação de seus profissionais e novas tecnologias.

Sem comentários. Faça o primeiro comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *